Copyright © 2017-2019 NINFA ARTEMIS

Capítulo 4

P6 Cantora

 

 

Data: Domingo, 02 janeiro 2000   23:47,  *Assunto: “Gostei!”

.....gostei do teu tom de voz e gostei da tua atitude e gostei da tua frontalidade e não havia outra forma de eu te ter percebido e obrigada por teres feito o que te pedi: cruel e rápido e continuo a ter na mesma boa impressão de ti e não quero que fiques traumatizado com as minhas obsessões por ti e porque isso pesar-me-ia na consciência e o que pensaste serem obsessões eram estratégias e que sina a minha!

Tens medinho dos compromissos, não é? Sabes, é um problemazinho teu.

Gostei. És mesmo valente! Demoraste a sê-lo! Mas é compreensível essa demora, andas sempre muito ocupado: se não é a musicar é a fodicar (em vez de foder digo fodicar para rimar com musicar! É a minha homenagem à tua sensibilidade artística!). Eu se fodesse contigo não seria apenas uma vez mas, tu estás sempre tão ocupado que teria de ser somente uma vez, não é? Por isso as vezes de tu e eu, achei melhor serem iguais a zero.

Eu, tal como tu, tenho também uma filosofia de vida. Queres ouvi-la?...Lá-lá-lá-lá-lá-lá-lá-lá-Lá-lá-lá-lá-lá-lá-Lá-lá-lá-lá-lá-Lá-lá-lá-lá-lá-lá-lá…gostaste da música?!

 Parece que estavas mal disposto…seria por o teu novo CD não ter tido sucesso comercial? Quiseste fazer umas letras à intelectual…são de difícil compreensão… mesmo as letras que falam de amor. Quiseste uma mudança mas essa não acompanhou a sinceridade. Houve fingimento: mudaste para impressionar e vender.

Se te apetece somente foder e cantas que gostarias de foder, isso vende porque foste sincero. Isso vende e tem uma ordinarice engraçada.  Há sintonia entre a alma do músico e a sua música, isso é comercializável.

Queres que te diga uma coisa? Vai foder de graça que isso consegues tu –elas são tantas e fazem-no de graça, não é?! Tens sorte…

Outra coisa: foste exagerado, sabias? Viste coisas enormíssimas em mim, por exemplo: obsessões! Na tua vida também agarras mamocas enormíssimas ou apenas as minhas obsessões é que são grandes? 

O teu espaço privado! O teu telemóvel! Eu não posso ir aí! dizes tu.

As mulheres também têm uma coisa que é espaço privado, fica situado entre as pernas, no entanto tu queres invadir todos esses espaços privados que apanhas, já reparaste?

Fode por aí para aumentares essa tua inspiração musical!

Tu passas-me um sermão daqueles e rematas dizendo: "Mas podes escrever-me…"?! Essa tua confusão!  Só falta dizer que é amor!!! Comoveu-me porque se fosses cruel dir-me-ias: "Não me escrevas mais porque mesmo que o faças, não o lerei!" 

Tu  és mais meigo que aquilo que admites. Bom ano novo 2000!

A minha vida vai ter de mudar! Não sei como mas vai mudar!

Tanta complicação!...mas será que eu compliquei? A complicação veio de tu não te teres mudado a ti próprio, nem eu a mim, nem eu a ti, nem tu a mim. Ambos quisemos, até ao fim, o mesmo que queríamos no início. Ambos quisemos amor e amar, mas a forma como o quisemos e o obtivemos foi a nossa diferença inconciliável. Tu não assumiste a minha forma e eu não assumi a tua. Este empate de forças é a complicação.

Estou agora na fase da reestruturação dos meus sentimentos. Esta é uma fase complicada mas eu não terei ressentimentos contra ti…não te preocupes. A vida é bela...

Pois...ainda não me fui embora, lembra-te que me disseste que eu podia escrever-te!... Sabes, tu és normal….muito normal…Tenho de devolver-te à normalidade.

Disseste que recebes muitos emails mas que mesmo assim lerás os meus. És simpático! Obrigadinha.

Mas tenho a certeza que foi melhor assim. Talvez seja coisa do destino. Talvez um caminho novo me esteja a ser indicado. Talvez a minha hora esteja a chegar embora ainda não esteja a entender coisa alguma. O que eu vislumbro de momento é o nada mas as coisas não sucedem por acaso. O destino tem uma intenção para mim.

Tu disseste: “A ausência de resposta é a resposta”.

Foste cruel…mas mais para ti próprio, entenderás isso quando o meu correio escassear.

(poema) "Vivo no vazio, Como se não bastasse este não me quer, Porque deseja continuar a ser o vazio. A quem pertenço?"(fim)

A criação da minha alma foi um engano do Criador. Até como filha dos meus pais também não sou conforme eles desejariam que eu fosse. Para começar não tenho um “espírito prático” para a vida, dizem eles.

Tu não soubeste o que fazer com alguém que existe como eu existo.

Se tenho de pedir perdão a ti porque abusei da tua paciência, então perdão peço.

Também peço perdão a mim própria porque abusei da minha paciência.

Que aquilo que queiras para ti o encontres.

Vida ouve-me: sai da frente que quero passar! 

Se o que escrevo tem lógica, já o não sei, mas sei que a minha dor está cheia de lógica.

Não sei se suporto melhor a falta de lógica desta história ou a minha dor por ter gostado tanto de ti. Mas não devemos em nenhum dia das nossas vidas carregar mágoas.

Não me vou prolongar mais no tempo, estou exausta, vou dormir.

Uma boa noite para mim....

Mas posso ainda acrescentar mais coisas?…ainda me apetece escrever!…

Eu, se um dia chegar ao teu mundo…a lógica habitual vai ter um abalo. Anda-me a passar uma ideia maluca pela cabeça: a de eu ser cantora por uns tempos. O que achas?  Ideia maluca?! Talvez…pois não tenho experiência como cantora.

Vê ficheiro anexo. Ofereço-te o desenho de um dragão, a deitar fumo de fúria! Pintei-lhe as unhas de vermelho, os lábios de laranja-rosa-fogo, um olho de amarelo e outro em lilás. É uma dragoa! Sou eu a deitar fumo de ódio! Ainda não me passou!

Odeio-te!

Ninfa Flor não é nome de guerreira. NINFA ARTEMIS, eis o meu novo nome!

 

 

 

(Eu estava mesmo enervada quando escrevi este anúncio)

Site de Anúncios Amorosos na Internet  * Nome: Flor  * Sábado, 08  janeiro 2000

É aqui que se procura o amor?! Mesmo o sexo por aqui não deve ser grande coisa. Que mundo!

Se eu pintar o meu cabelo de verde nada adiantará! O mundo será o mesmo!

O meu gato adora ver a roupa a rolar na máquina de lavar. Tudo é engraçado para ele. Tudo serve para brincar! Tal como os parvalhões que por aqui andam neste mundo!

O mundo...vazio e mais vazio, toda a gente a torná-lo mais vazio...Não se ama direito mas fode-se a torto e a direito. Fodem mais o juízo da mulher que o corpo... parvalhões impotentes!  Ninguém tem amor para dar...

Preciso de amor mas o medo das palhaçadas é demais! Inibe-me! 

Não deixo o meu email porque não interessa e porque nada me interessa.

Enquanto houver pessoas, cada uma será um engano, cada uma será mais um ponto que fará  infinita esta sequência: cada um na sua vez, enganar-se-á a si e será enganado por outro.

O mal vem sempre a dobrar, não é parvalhões? Valeis o dobro da decência?! 

Claro que também há as parvalhonas! Tal como existem os pares em cada espécie: o boi e a vaca; o cão e a cadela; o lobo e a loba; e claro, o parvalhão e a parvalhona.

Eu não sirvo para parvalhões! Sou número ímpar...não tenho par. Adeus!

 

 

 

Data: Sábado, 12 Fevereiro 2000   *site na internet*      Assunto: “Informações”

Exmos. Srs., desde já os meus sinceros agradecimentos pela vossa existência e pela assistência paciente, e gratuita, relativamente a informações genéricas  sobre direitos autorais.

Gostaria de obter uma informação. Esta refere-se a como e onde fazer o registo, se é esse o termo a usar, de forma a garantir os meus direitos de autora dumas letras para canção. Pretendo procurar músicos e/ou editoras discográficas para vender essas mesmas letras mas, pessoas amigas alertaram-me dizendo que de forma alguma eu deveria enviar cópias, ou passar para a mão de alguém as letras, sem garantir primeiro os meus direitos autorais.

Sei que existe uma entidade privada que permite fazer esse registo no entanto, vi que retêm percentagens sobre a comercialização da obra nos seguintes moldes: primeiramente o dinheiro da venda é entregue pelas entidades que comercializam a obra diretamente a eles que fazem o registo, através de depósito na conta bancária destes últimos. Só posteriormente estes pagarão ao autor mas, somente uma percentagem do dinheiro recebido pela obra! O gravoso é que o montante dessa percentagem a ser paga não está estipulada no documento apresentado pela tal entidade ao autor e, a ser assinado obrigatoriamente pelo mesmo antes que lhe seja permitido fazer o registo da sua obra! A entidade até poderá só pagar 1% se assim o entender, retendo assim os 99% do dinheiro recebido das vendas! A percentagem, repito, não está estipulada!

Queria saber se posso defender os meus direitos autorais sem passar por essa tal entidade. Peço resposta com a maior brevidade possível,

o meu muito obrigada pela atenção dispensada

  

 

♣       

(nota: Tinha escrito, nos dias anteriores, as minhas primeiras letras para canção -mais tarde viriam a fazer parte do álbum “Incenso”. Eu queria fazer o registo dos direitos autorais mas não queria fazê-lo na tal entidade privada pelas razões que aponto no email. Após pesquisas várias, tomei conhecimento do IGAC -Inspeção Geral das Atividades culturais e foi aí que fiz o meu registo)

 

 

Data: Terça-feira, 22  Fevereiro 2000   02:13h,  *Assunto: “A tua palestra”

....estive na cidade... assisti à palestra... em que tu e outros falavam sobre o panorama da música em Portugal. Penso que a assistência gostou.

Gostei de ver a fluidez de ideias dos palestrantes bem como a rapidez e inteligência nas  respostas às questões da plateia.  Estive na fila para os autógrafos mas quando te vi todo atrapalhado a dizer às fans que terias de te ir embora, que já estava na hora…insistias nessa argumentação à medida que se aproximava a minha vez. Desisti.

Desisti do autógrafo e abandonei a fila.

Pensavas que eu ia armar uma “cena”?! Tive pena da tua aflição,

Tudo de bom para ti, Ninfa Artemis

 

 

Diálogo 9  *colega de trabalho,  *Quarta-feira,  23 Fevereiro  2000  21:05h

- Olá Famosa!

- Olá bonitona! A partir de hoje vais parar de me chamar “famosa”! Agora tenho nome de guerreira! Ninfa Artemis!

- Quem?! Ninfa?! Nome bonito! Gostei! Ninfa Artemis! Tem pinta! Gostei!

- Eu também!

- Fica-te bem: Ninfa! Minha Anjinha Ninfa…Ah! Desculpa! Guerreira Ninfa!

- O destino está do meu lado! Olha, para festejar este meu novo estado de espírito, como sei que gostas de perfumes, comprei-te um! Vê se gostas!

- Cheira bem! Gosto. Sabes…o teu novo nome dava um belo nome de perfume! Perfume Ninfa Artemis!

- Deixa-te de coisas! Então eu a dizer que vou ser guerreira e pões-me como nome num frasco de perfume?!

- Porque não?! Comprava imediatamente! Até criava um slogan para ele: “Ninfa, o perfume das guerreiras feiticeiras de Artemis!” Assim já gostas mais?

- Slogan bonito! Gostei! O frasco de perfume que acabo de te oferecer também é uma prenda de despedida…Vais mesmo partir para a Austrália, não é bonitona?

- Partirei em finais de Dezembro…passo cá o Natal mas a festa de passagem para o Ano Novo 2001 já a farei lá! E tu? O que planeias fazer no futuro?

- O meu futuro...os sinais começam a aparecer...vai demorar a acontecer...mas vai acontecer!

- Como é que as coisas terminaram?

- Terminaram?!

- Sim. Como é que vocês, tu e o fulano cantor,  terminaram? Era previsível isso...Pelo teu ar abatido deduzo que o rompimento já tenha ocorrido…

- Doeu...mas as coisas mudaram para muito melhor. Finalmente consegui ver o meu caminho...a poeira levantou-se e agora consigo ver o caminho.

- Lá vens tu com as tuas coisas filosóficas: a poeira pairava no ar cegando os teus olhinhos de anjinha. Que chatice!

- A poeira, a quem quer ver, magoa-lhe os olhos abertos porque os agride e só quem anda desesperado por ver o caminho escondido é que os mantém abertos naquelas circunstâncias: poeira imensa que fere os olhos.…

- Não seria mais fácil deixares a poeira  assentar e só depois abrires os olhos? Assim verias na mesma e sem dor! Esta nossa conversa parece uma conversa de filosofia tipo Platão e os seus discípulos, neste caso, entre a anjinha que vai virar guerreira feiticeira e a portuguesa que vai virar australiana! Mas diz lá: não era mais fácil deixares assentar primeiro a poeira?

- Se eu esperar que a poeira assente, ela voltará a mostrar-me o mesmo caminho. Ela ao pousar irá ocupar o mesmo lugar que anteriormente: ela tudo cobrirá! O caminho ficará novamente escondido debaixo desse vale de grãos de poeira e tudo estará igual quando eu abrir novamente os olhos...

- Mas a poeira levanta-se devido ao vento, ou outra corrente de ar...o vento varreria a poeira e quando todos nós abríssemos os olhos, o vento já teria levado a poeira para longe e o caminho estaria ali à nossa frente, bem visível! Para quê lutar? Basta esperar calmamente…

- Há pessoas que têm a sorte de poderem fechar os olhos porque outros funcionam como vento na vida delas... Eu acredito que o tipo de vento que levanta montanhas é muitíssimo mais forte quando é originado pela vontade do próprio… Pensar  que se necessita mais dos outros que de si próprio é um erro…

- Eu estou com fome!

-E se pedíssemos uma fatia daquele bolo ali exposto, que por baixo tem chocolate, por cima tem nozes e lateralmente tem fatias de ananás caramelizadas aderentes ao bolo?

- Queres tu dizer…uma fatia daquele bolo esquisito?

- Sim, parece que também tem cerejas cristalizadas…vamos provar? É capaz de ser bom.

- Se o dizes…vamos a isso! Onde estávamos? Ah! Poeira, olhos, dor, caminho… pois a força de vontade de cada um é que dita se quer que as coisas fiquem iguais ou diferentes ou se se manda tudo para o caralh*…

- Estou cansada de sentir que sou um peixe fora de água, de sentir que me encaixo mal no mundo, cansada de esperar que algo aconteça, cansada de sofrer, cansada …

- Minha anjinha adorada…arranja um homem compatível contigo e diverte-te, pode ser? Tu és uma fan maluca...é assim que o cantor te vê. É só mulherada à volta dele! Ele até deve enjoar com tanta fartura!…Deixa de ser a Bela Adormecida pois, ele não é o teu príncipe que te vai despertar e salvar para a vida com um beijo! Ele tem mais jeito de  vampiro: dá-me o mais que puderes, eu nada tenho para te dar. Deixa os sonhos cor de rosa e vive a vida!

- Tens razão. Sonho demais. Apetecia-me bater com a minha cabeça contra uma parede! Podia ser que eu acordasse…ou talvez não e, apenas fosse parar ao hospital com a cabeça partida!

- Minha adorada Ninfa, tens alma de artista!…Os grandes artistas são todos sofredores…mas tu apesar disso, és engraçada! Acho graça às tuas peripécias…

- Muito obrigada, bonitona!

- Por falar em artistas, falemos agora do cantor: acabou de sair o novo CD dele mas eu não percebo as letras que ele canta neste CD: demasiado esquisitas…ele podia ter-se expressado de forma poético-intelectual mas sem ficar esquisito, não sei do que ele fala! Tu percebes?

- Nem sempre percebo. As canções deste recente álbum não tiveram o sucesso das dos álbuns  anteriores. Ele decidiu experimentar em algumas canções uma mudança de género musical, bastante diferente daquele a que o seu público estava habituado. Além disso, decidiu também revelar o seu lado intelectual na escrita das letras mas, elas   ficaram demasiado elaboradas, raiando por vezes o incompreensível. Talvez isso lhe tenha sido fatal em termos de vendas.

- Não tenhas pena dele…Ele ainda tem muitas fans. Vejo aqui nos teus emails, que num ele te agradeceu a inspiração. Ele deve ter milhares fans adoradoras a pensarem que uma dada canção, em particular, foi inspirada nelas! Estou mesmo a ver cada uma das fans! A estudante que está a estudar em casa, ouvindo vezes sem conta a canção que ela acha que fala dela mesma! A licenciada que conduz o seu carro com o rádio ligado também está emocionada, a nova canção dele acaba agora mesmo de ser passada na rádio, fala dela própria! –acha ela. A fan que foi às compras -todos os mini, super e hipermercados têm música ambiente, o arrepio que ela subitamente sentiu, agora mesmo na secção dos pensos higiénicos! tinha acabado de estar na secção das hortaliças! a canção que agora se ouve fala dela! Que emoção!

- O problema nas vendas é que por vezes à medida que se deixa de ser novidade, o sucesso também se ressente…Se houvesse uma fórmula mágica que garantisse o sucesso comercial de um CD, as editoras discográficas usavam-na. No campo artístico há sempre muita dose de imprevisibilidade a nível comercial…

- Não penses mais nele, o problema de vendas do CD é dele! Se ele tivesse vendido milhares de exemplares do novo CD dele, a tua vida ficaria na mesma. Ele não te daria nenhuma atenção em especial. Ele pensaria, isso sim, em gastar à grande com a mulherada toda que ele conseguisse seduzir…Olha, sugiro agora mesmo que tomemos uma ginjinha! Vamos tomar um licor de cereja delicioso, concordas?

- Vamos lá! (…)A ginjinha está mesmo boa!

-Voltando ao assunto dos insucessos: ele tem imensos bens pessoais. Em caso de aflição pode vender alguns tais como carros, casas na cidade, casas no campo, casas na praia…portanto não é o fim do mundo para ele. Além desses recursos, existem ainda os anúncios publicitários de grandes marcas comerciais que às vezes pegam numa música do artista para o seu spot publicitário ou, no próprio artista para dar a sua cara pelo anúncio…isso dá sempre muito dinheiro! Nós comuns mortais é que estamos mal, não há anúncio publicitário que nos salve dos sufocos monetários….

- Sabias que a nossa colega, aquela de cabelo muito curto, tem uma sobrinha de dezasseis anos que é cantora?

- A sério?!

- Sim. Falei com ela.

- Tu também pensas ser cantora?! Vejo aqui um email em que confessas isso ao fulano cantor! Lembras-te quando em finais de agosto de 1998, ou seja há ano e meio atrás, eu na brincadeira chamava-te de cantora por achar que tinhas pinta para tal? Olha, não sabia que a brincar eu estava a falar a verdade…a vida dá mesmo voltas…

- Sim, lembro-me dessa tua brincadeira. Não tenho experiência alguma em cantar…absolutamente nenhuma! Se eu avançar com a ideia talvez tenha de escrever as minhas próprias letras pois não conheço ninguém que o possa fazer para mim.

- Na escrita tens experiência...

- Tirando estes meses de escrita de emails ao cantor, eu nunca tinha escrito nada de significativo…escrevia uns postais de natal e pouco mais.

- Não tens experiência como escritora?! Foi o cantor que despertou em ti a vocação para a escrita?! Ao menos alguma coisa positiva veio desse fulano! Ainda bem, pois assim o mundo ganhou uma escritora!

- Já estás a projetar o meu futuro! Na tua cabeça agora sou uma futura escritora!

- Deixar algo escrito para outros lerem é algo de muito poderoso, sabias? Podes influenciar pessoas no presente ou pessoas daqui a cem anos ou mais, quando já estiveres no Céu! Uma anjinha como tu não pode ir para o inferno chamuscar as suas asinhas cheias de plumas brancas! Eu conheço-te…diz lá o que estás a pensar!...

- Talvez, com sorte, eu e o cantor façamos parceria na escrita de letras de canções! Ele sempre disse que eu escrevia bem.

- Lá está ela com as cismas!!!!! Esquece o fulano!!!!

- Quem sabe se ele não quererá fazer a linha melódica das minhas letras de canção de um possível CD meu?...

- Querida, o tempo vai passar e não vais obter ajuda alguma dele! Tomara ele ajudar-se a ele próprio! Prepara-te para seres cantora, escritora e compositora!!!

- Escrever as letras, embora não tenha experiência, não me assusta muito...ser cantora assusta-me muito e fazer a linha melódica também

- Não faltam para aí cantores a projetar muitíssimo mal a voz e cantam à mesma. Alguns até são famosos! Não te preocupes. Se fores péssima...és mais uma! Quanto a fazer a linha melódica…porque não? Tenta! Quem sabe se não consegues?

- Fazer a linha melódica vai ser muito complicado pois não toco instrumento algum! Dificulta-me as coisas porque terei de imaginar os sons exclusivamente a partir da minha cabeça...Não tenho sequer formação musical! Estou tramada!!

- Não conheces ninguém que te possa ajudar?

- Não…ninguém. Vivo longe de uma grande cidade, vivo numa aldeia.

- Tens carro…podes deslocar-te! Isto é Portugal, nada acontece…mas existem músicos!

- Não sei o que fazer com a minha vida…

- Tu vais ser escritora de livros e canções, cantora e compositora! E quando fores famosa vais também fazer participações no cinema como atriz! Vais ser famosa!...

- Só te falta dizer que um dia a minha vida vai dar um filme, a ser rodado em Hollywood!…

- Há que pensar à grande! Pensar de forma modesta e receosa não leva a lado algum. Não era isso que a vidente brasileira dizia: que ias ser famosa? Nada te impede de seres famosa! Viva a vida louca! A ti sucedem-te coisas bizarras e ao mesmo tempo espantosas. Vais aventurar-te no mundo artístico, portanto quem sabe? A vida é cheia de surpresas… Sabes uma coisa? Disse àquela nossa colega dos saltos super altos que eras escritora mas que isso era um segredo! Disse que andavas a escrever um livro! Também o disse a outras duas colegas nossas…enfim!...falo demais! Disse-lhes: “A nossa colega, e minha grande amiga, é escritora e cantora! Admiradas?! Isso passa-vos! ”

- Disseste o quê?!!!!

- Disse-lhes que andavas a escrever um livro! E que eu e tu éramos as principais personagens além de uns textos poéticos ali pelo meio...E que também eras cantora!

- Mas eu só tenho os textos dos emails que enviei ao cantor! Não há livro algum! E quanto a ser cantora? Sei lá…

- Disse-lhes que tu ias fazer de mim uma personagem espetacular!...como só eu posso ser!...com a tua ajuda, claro! tu sabes abrilhantar as coisas!

- Queres que ponha as nossas conversas no livro?!

- Claro! Senão quando é que eu ia aparecer na história?! Não sou cantora famosa na treta deste país pequeno! Aliás, excetuando a falecida fadista Amália Rodrigues, neste país não há ninguém verdadeiramente famoso, embora alguns pensam que o são!

- Faço-te a vontade…prometo inserir-te no livro se eu o escrever!…

- As nossas colegas ficaram roídas de inveja! A dos saltos altos disse que também dava uma boa personagem mas ela gostaria que a caracterizasses como sendo alta, elegante e de olhos verdes!…

- Isto está a ficar lindo...

- Já sabes: a dos saltos altos quer ter olhos verdes na história!...E que a apresentes como sendo irresistível para qualquer homem!...Depois há aquela nossa colega do cabelo curto que queria ser...como é que era?...Ah! Essa quer ser modelo na tua história e ter sido casada cinco vezes!

- Eu estava entranhada nos meus problemas mas esta conversa super divertida está a fazer-me esquecê-los! Ela quer aparecer na história como tendo sido casada cinco vezes?! Ela está casada com o mesmo homem há quinze anos!

- Diz ela que está farta de aturar o marido! Que ele é sempre a mesma coisa: chega  a casa, senta-se na poltrona, mal lhe dirige a palavra, quer ver o telejornal e saber o que vai haver para o jantar...além de que ele se deita cedo pois necessita de dormir nove horas para acordar bem disposto! Que vidinha sem graça a dela!

- Mas ela anda sempre bem disposta!

- Ela contou-me que quando o marido vai dormir, ela deixa-se estar na internet naqueles chat online....apresenta-se como solteira! Diz ela que tem de se divertir já que a sua vida é chata! Tudo muito inofensivo, segundo ela. Ela também diz que se põe a ver aqueles sites de homens todos nus, corpos jeitosos e musculados.

- Quem diria…quem olha para ela parece que não quebra um prato.

- São as que mais surpreendem. O marido não lhe dá muita atenção. Os homens casam connosco e passamos a ser objetos imóveis...mal reparam em nós…somos quase invisíveis. Lembra-te: ela na história quer ser modelo e ter sido casada cinco vezes com homens bonitos e interessantes! Conta-me lá: o que ficaste a saber sobre os bastidores da música e coisas afins, sobre a sobrinha de dezasseis anos da nossa colega?

- Ás vezes encontro-a às compras com a tia. Ela tem mesmo visual de artista…tem um visual cuidado em termos de roupa, acessórios, maquilhagem, unhas… além de um rosto bonito, uma pele perfeita e um cabelo bem tratado de tamanho médio liso que nem esparguete.

- O visual de cantora pede um cabelo liso que nem esparguete?!!

- Acho que não…mas ela tem. Ela disse-me que já tem um CD gravado, editado e à venda! Tem o selo de uma pequena editora portuguesa. Ela disse-me que a banda levava alguns CD´s e vendiam em festivais ou locais de atuação por onde passassem… Ela disse que na sessão fotográfica para a capa do CD puseram-lhe (imagina!) quatro camadas de creme base!!!...Ela disse que era camada espessa sob camada de creme base e pó compacto! Eu fiquei pasma! Uma pele super jovem e imaculada! Eu perguntei-lhe o porquê de tanto creme, ela disse que não sabia! Eu interroguei-me então quantas camadas de creme base teria eu de pôr em mim?! Pele com cicatrizes e não adolescente! Trinta camadas?!!!! Sabes que ela já apareceu numa revista?

- A sério?! A banda já se tornou conhecida?!

- A banda continua a ser desconhecida do grande público. Mas ela, a cantora, já apareceu numa revista de generalidades, num canto inferior…Mostrou-me o recorte da revista…e também já foi a um programa televisivo!

- Hoje em dia são tantos os cantores e bandas!...e todos iguais, no jeito e na imagem, que ninguém os retém na memória...

- O grupo dela é formado por duas vocalistas: ela e outra,  duas “dançarinas” e os músicos, ao todo são oito elementos.

- Ela pagou para aparecer na revista?

- Não. Pensei que sim mas ela garantiu-me que não. Na fotografia da revista aparece apenas ela cantora e a outra vocalista...a foto não era nada de especial: as duas a sorrirem em frente a um jardim de verão na cidade... Mas, e aí é que está outro absurdo como aquele das quatro camadas de creme, sabes quantas fotografias o manager delas quis que elas tirassem? Fotografias das quais seriam selecionadas as melhores a serem enviadas à revista que depois escolheria apenas uma que depois veio a ser reduzida ao tamanho e, colocada num canto inferior de uma página da revista?!

- Umas trinta?!

- Cento e cinquenta fotografias!! Todas tiradas naquela tarde de verão, usando as mesmas roupas, o mesmo fotógrafo e com o mesmo jardim de fundo. Nem de jardim mudaram!

- Tu embirraste mesmo com os jardins!

- O cenário é importante, acho eu. Senão parece um coala! Querem tudo tão especial, tão diferente e acaba por ser um coala!

- Um coala?!

- Sim!...Nas séries de vida animal os coalas aparecem sempre caracterizados como sendo muito preguiçosos, calmeirões, lentos…não há energia! Mas eu acho-os muito giros! Parecem bonecos de pelúcia! Também gosto muito de pandas, golfinhos...aliás eu acho piada a todos os animais, até às moscas!

- Moscas?!

- Elas são manhosas, sabias?

- As moscas são manhosas?! Não sabia! Porquê? Alguma não cumpriu o que te prometeu? Não foi chatear o fulano cantor?!

- Lá estás tu a brincar comigo! És uma cubista! Só me atiras cubos à cabeça! As moscas são manhosas! Há dias atrás, ao tentar enxotar uma mosca retida pela janela fechada, peguei num pano e enxotava-a de forma a que ela entendesse que agora a janela estava  aberta e portanto podia sair. Mas, a mosca insistia em voar  contra o vidro da janela. Devo ter-lhe dado com o pano mais insistentemente porque ela caiu no parapeito interior da janela parecendo morta com as asas imobilizadas e as patas cruzadas sobre o abdómen. Fiquei muito admirada por a ter morto... mas quando voltei a olhar, ela já tinha fugido! Estás a ver? Fez-se de morta para eu a deixar em paz!

- As coisas que eu, menina de cidade, aprendo contigo: as moscas são manhosas!

- Também te poso contar uma história lá de casa: envolve um gato pequeno de três meses de idade adotado por nós e os nossos dois cães adultos de grande porte!

- Muito bem! Após a história da mosca manhosa agora a história do gatinho valente…

- Esta história passou-se em frente à cozinha exterior. É uma cozinha de campo: temos um fogão a lenha, enfim...uma cozinha adaptada à vida rural. Alguém o abandonou em frente à nossa porta. O gato no primeiro dia escondeu-se debaixo do armário da loiça e, somente quando ele não via ninguém na cozinha é que ele fazia desaparecer a comida do prato dele. No segundo dia, já se passeava mais pela cozinha mas ainda se escondia. No terceiro dia estava aborrecido! Passou toda a manhã a miar. Estava chato! Parecia estar a protestar! Fome e frio não podiam ser. Penso que sentia a falta da mãe e dos irmãos gatinhos...Ele estava mesmo enervado!...miava de forma irritante! De tão enervado que estava saiu da cozinha -a porta estava aberta e dá para os campos, é rés do chão. Foi sempre em frente!...Ao caminhar sentiu que o chão estava húmido, tinha chovido umas horas antes. Ele para com o seu miar quando sente as patas molhadas e começa a levantar alternadamente cada uma das quatro patas para sacudir-lhes a humidade: “Que diabo é isto? Não gosto nada! Mais um aborrecimento! Vou de mal a pior! Como é que se miará merda-odeio-esta-coisa-de-patas-molhadas?” Ele nasceu no Verão e  ainda não conhecia a chuva!

- Um gatinho de Verão que sacode as patinhas em dia de chuva…muito bem! E quando aparecem os cães na história?

- Era giro de se ver! Ele a levantar as patinhas rapidamente…a ver se tal rapidez de levantamento alternado de patas as faria transformar numa hélice de helicóptero, voando assim sob o solo encharcado de água.

- Tu achas graça a tanta coisa! Achas graça ver gatinhos a sacudirem as gotículas de chuva das suas delicadas patinhas de verão...achas graça escrever ao cantor…