Copyright © 2017-2019 NINFA ARTEMIS

Capítulo 4

P4Mudança

 

Data: Sábado,  02 Outubro 1999   19:19h,  * Assunto: “Torrencialmente“

Chove torrencialmente. Estou na cama a ver televisão, a olhar para a janela que tem  folhas de árvores coladas aos vidros.

Estão a cair gotas de chuva no teto de madeira do meu quarto, será uma telha partida? 

Onde quer que estejas, um abraço.

 

 

Data: Sábado,  09 Outubro 1999   18:14h,  *Assunto: “Czarinas“

Há uns tempos atrás fiz algo que eu reprovo. Fi-lo porque a minha curiosidade iria consolar o ego das tuas “Czarinas”. Elas são detetáveis no teu “guest book”. Elas parecem ser Ok e gostar muito de ti . Sortudo!

A amostra que te vou dar a conhecer contém apenas três Czarinas.

Há uma que é bastante altiva, é francesa e foi difícil consolá-la do vosso rompimento por se mostrar sempre na mó de cima: acabou por me atirar à cara que não te amava, apenas gostava das tuas músicas cantadas em francês e que para ela tudo era somente um jogo de poder-sedução e no fim insultava-te: “Ele canta o amor mas não sabe amar! É manipulador!”  (O amor….o amor é lindo!…ela ainda gosta de ti…não te preocupes… –digo eu )

Há uma segunda princesa. Vocês os dois ambos fazem anos no mesmo dia, já se conheceram pessoalmente e quando tal sucedeu, tu foste o primeiro a falar-lhe no assunto: o dia do aniversário! Disseste-lhe que ela escrevia muito bem. Ela diz ansiar por estar contigo pelo menos um dia inteiro e acrescentou: "Ele pode ensinar-me muita coisa." (Não, não! não estou a ser maliciosa…nem ela o era dado  que era uma menor de 16 anos…)

Há uma terceira que fala de ti com muitas saudades, diz que gostaria que fosses lá a casa jantar uma outra vez: só tu e ela! Dei-lhe os meus parabéns pelo facto de ela ter conseguido que fosses lá a casa jantar. Ela respondeu dizendo que foram necessários desenvolver, pela parte dela, muitos esforços e tentativas e concluiu afirmando: “Mas eu tudo consigo!...”

Não ficaste ofendido, com esta minha “invasão” de privacidade pois não?

Tu és o máximo! Abraço

           

 

Data: Sábado, 16  Outubro 1999   02:38h,  *Assunto: “Claridade“

Fixei-me na claridade do lampião da noite, exterior à janela do quarto.

Pensei em ti...na tua música...nas tuas inspirações... O artista é um ser dependente, mais que das suas próprias emoções, das emoções que os outros lhe inspiram...O artista vive da claridade dum lampião da noite, com sorte, da claridade das noites de luar...mas a vida vem do sol.

O que é que eu estou para aqui a dizer? Sei lá…deve ser o sono a falar…

 

Data: Sábado, 23  Outubro 1999   09:14h,   *Assunto: “Londres “

Temos castanhas assadas num fogão de lenha, queres? Ah! Não andas por cá... estás em Londres!

 

Data: Segunda-feira, 01  Novembro 1999   09:59h,  *Assunto: “Escrever um Livro“

Continuo a escrever-te ou não? Já te escrevi tanto…

Não precisas de dizer nada! Continuarei a corresponder-me contigo, partindo do princípio que tu dirás sim. Se é um não, deixa-me andar iludida, deixa-me ir escrevendo, pode ser que dê um livro! J E se um dia escrever esse livro, será que estaremos juntos?

Ou nunca nos chegamos a encontrar sequer uma segunda vez?

Daqui a alguns anos…o que será feito de ti?…o que será feito de mim?...

 

Data: Terça-feira, 02  Novembro 1999   22:18h,  *Assunto: “

Olá! Queres atirar-me com um livro à cabeça que eu deixo?

É para ver se eu caio na realidade. Isso far-me-ia doer a cabeça e faria despertar a realidade em mim! Ai, ai…que dói!

Sabes uma coisa? Eu adorava ser rica…viajaria para sítios paradisíacos… Também pensaria em coisas sérias, por exemplo, em criar emprego através da criação de alguma empresa…ou algo do género…

Ser rico acho que deve ser bom…mas o que eu adorava mesmo era conhecer pessoas com capacidades sobrenaturais...principalmente na área da cura… 

Está tudo bem contigo?

 

Data: Quarta-feira, 03  Novembro 1999   21:34h,  *Assunto: “Para Ser Feliz“

Uma colega minha de profissão (e também minha amiga) considera os seus problemas, no campo amoroso, uma coisa complicada. Ofereci-lhe um livro em que o autor, através duma apresentação de uma série de conselhos, orienta o leitor no processo de obtenção da felicidade. O livro tem mais de cem páginas. O autor é psicanalista.

O livro prometia, segundo dizia o prefácio, mudar rapidamente a vida de quem o lesse…

Não mudou a minha vida pois, continuo a escrever-te e a da minha amiga também está igual.

À minha volta tudo continua igual ou, sou eu que continuo a ver as coisas de forma igual. Não sei…

O livro cita uma frase de Platão: "Um homem que não arrisca nada pelas suas ideias, ou não tem ideias que valham ou não vale como homem."

Algures, o livro defende a ideia de que muitos desejam um “amor” nas suas vidas para receberem dessa pessoa a compreensão que não são capazes de encontrar em si mesmos. Desejam um “amor” porque querem ser o centro das atenções do outro, isto porque, não se aceitam a si próprios.

Mais para a frente, o autor diz que o sofrimento psíquico, a neurose, existe porque o homem sabe que vai morrer.

Bem, eu não gasto os meus dias a pensar que um dia vou morrer. Eu sei que vou morrer. Só não sei o dia. Mas conheço os dias em que há gente que nos mata um pouco a toda a hora… Isso de facto mexe-me com a neura…dá-me neurose!...E esses filhos da put* que me vão matando, a vida até lhes corre bem…ao ver isso fico mesmo com a neurose completamente avariada.

 A vida é lixada, não achas? Isto hoje está a ser muito filosófico…

Sabes o que é que tu e eu vamos fazer hoje? Um tratamento!

Que tipo de tratamento estás a ter em mente? Eu estou a pensar em dar-te um tratamento à base de frases paradoxais! Como já te disse…isto hoje está filosófico. Cá vai: “Deus não é todo-poderoso, uma vez que não pode construir uma barreira que não possa transpor” (Pascal) e “Um homem que tem medo de sofrer já está a sofrer por ter medo” (Montaigne) e “Trá-lá-lá, paz e amor, a vida é bela…apesar de às vezes me apetecer dar um grito e evaporar-me” (Ninfa Artemis).

 

 

Data: Sexta-feira, 05  Novembro 1999   23:51h,  *Assunto: “Sem chaves“

...Ontem à  noite sucedeu-me o seguinte: apercebi-me de que tinha perdido as chaves do carro e uma colega minha levou-me a casa, para eu ir buscar as suplentes.

Pouco antes de dormir decido remexer uma vez mais na minha bolsa (saco de senhora) e descubro que as chaves sempre estiveram comigo. O forro da bolsa estava rasgado e elas esconderam-se lá.

Fiquei aborrecida com esta confusão. Sem querer, entornei um pouco de chá quente sobre o meu gato que estava a dormir próximo de mim. O gato ficou enervado…

 

Data: Sábado, 06  Novembro 1999   02:08h,  *Assunto: Re: “Sem chaves“

Necessitas de poucas palavras para me conseguires.

Como consegues tal? Onde estás? Um beijo

 

Data: Sábado, 06  Novembro 1999   11:12h,  *Assunto: “Estou aqui ...“

....Onde me encontro?!... não percebi… Quase sempre estou em casa ou no emprego…O tempo tem estado horrível, não estou em férias e portanto, não tenho muitas opções: ou em casa ou no emprego. Às vezes saio um pouco mas ando sempre por perto. Porque perguntas? Tens algo em mente?

Uma outra prova de que eu tenho andado muito por casa: estou a tricotar uma camisola que depois de completa terá milhares de laçadas de lã…portanto eu não tenho ido longe…  E tu, onde estás? Continuas em Londres? Abraço

 

Data:Quinta-feira, 11  Novembro 1999   01:04h,  *Assunto: “Ideia fixa e inabalável“

Durante o fim-de-semana vou tentar escrever-te uma coisa erótica.

Qual tem sido a tua última ideia fixa e inabalável? Curiosidade minha… 

 

Data: Sábado, 13 Novembro 1999   08:01h,  *Assunto: “História Erótica“

História Erótica: vinho, música e um carro cruzando paisagens sem sinalizações a 200 Km/h. Tu e eu.

 

Data: Sábado, 13 Novembro 1999   11:09h,  *Assunto: “está…“

... está a tornar-se difícil surpreender-te pela escrita... mas os dias e noites vão trazendo novas ideias… E tu? Como vão as coisas por aí?

 

Data: Domingo, 14 Novembro 1999   04:10h,  *Assunto: “Endurecimento“

Mais uma “história” erótica, a seguir. Em termos de erotismo decente, foi o melhor que me ocorreu pois hoje não estou muito para erotismos. Estou com uma terrível dor de cabeça. Andei à chuva a apanhar maracujás. Acho que apanhei um resfriado

Adoro maracujás. Dizem que chá de casca de maracujá faz bem ao pâncreas.

Também gosto de cerejas, romãs, figos, ameixas, amoras, framboesas e adoro diospiros.

Eis a “história erótica:

"Tu, Eu toda nua, Endurecimento do cristalino hieróglifo, Essa parte é tua, Os teus olhos, O meu corpo, Desejo, Morro, Já não aguento, Apetece-me subir para cima, Desse hieróglifo endurecido, Subir até aquele que diz, Tu…"

 

Data: Quarta-feira, 17 Novembro 1999   02:09h  *Assunto: Re: “Endurecimento“

Desculpa, mas a Marléne e a Márcia escrevem melhor!!!!

 

Data: Quarta-feira, 17 Novembro 1999   21:11h,  *Assunto: “Tu”

Olha querido…às vezes a vida é uma puta madrasta e tu agora decidiste também fornicar com essa puta?

Ai, meu Deus! Digo palavrões! Olha, outra faceta de mim! Não achas lindo?

Sei que tens muitas a escreverem-te, tens sorte…Se queres avaliar quem é melhor ou pior, é lá contigo. Tens opinião como toda a gente.

Penso que estarás a sofrer de uma doença. Sabes qual o nome dessa tua doença? Mimo! Tens a  doença do mimo. Ou seja, és um mimado. Tu tens dinheiro, sucesso…tu não tens problemas, excetuando os que se resumem à manutenção do sucesso e a quem escolherás para foder na próxima noite.

Desde quando te interessa o que elas escrevem? Tu queres é foder, sabes disso, não sabes? Vai…vai foder outras…A mim não, estou com o período.

Tens um pouco a mania que és louco livre, uma ave rara…olha: tretas e tetas! O teu problema é excesso de mamas... és mulherengo…elas dizem-te muitas mentiras para te agradarem…e depois, ficas louco?…elas dizem que tu és o maior e tu acreditas?!

Eu podia agora ser má, rogar-te uma praga e desejar que fiques impotente até ao resto da tua vida…mas não o farei…eu sou boazinha…fica calmo…ok? Abraço

 

Data: Quinta-feira, 18 Novembro 1999   00:19h,  *Assunto:   Re: “ Tu“

Os imperadores romanos, com frequência, escolhiam várias mulheres e rapazinhos e anunciavam, lá do seu sofá de jantar, que aqueles eram os eleitos para aquela noite. Só não diziam o número de telemóvel… o meu enviei-te agora num mail à parte. Beijos

 

Data: Quinta-feira, 18 Novembro 1999   21:09h,  *Assunto: “Orgias “

Na sequência do nosso telefonema, não entendi bem qual a brincadeira a passar-se por aqui e também não entendo o porquê. Em todo o caso, esta sequência de eventos ultrapassa-me e baralha-me.

Estou com falta de sequência nesta história. Embora seja sempre possível eu entrar numa história qualquer.

Percebi que tu nem sempre és tu e, se tu me achas maluca, eu também começo a pensar que o és mas há uma diferença: eu tenho graça e não faço mal a ninguém.

Beijinhos e boas orgias.

 

 

Data: Sexta-feira, 19 Novembro 1999   03:08h,   *Assunto:Re:“Orgias”

Fiquei com a ideia que te assustei. Hoje, quando vi a tua mensagem, tive a certeza. Assustei-te com a visualização da banalidade. Ela (tu) faz o seguinte: provocar e depois, a estratégia para fugir do susto: provocar outra vez. Provocar sempre, seja qual for a situação. Tens aqui um texto meu a uma que não se susta e quer sempre mais, é só ele querer dar que ela quer…Vou fazer uma análise do texto que se segue, para não te assustares com o que vais ler...

“Querida Márcia,

(mensagem forte, não achas? Está a provocá-la...é dirigido em tom vulgar...)

Não, não sou casado. Nem divorciado. Nem separado. Sou solteiro. E tu, tens namorado? (ele revela-se e devolve uma pergunta)

Hoje gostava que estivesses aqui a meu lado, ouvindo as canções que acabei de gravar. Tenho comigo percussionistas, juntei-os com um quarteto de cordas britânico e o som da minha banda rock. Por cima, a minha voz. Uma mistura que se está revelando rock mágico. Gostava de depositar esses sons em  ti. Ouvi-los contigo, falá-los contigo. Seguidamente entramos no prazer. Não, não é desse amor, tipo amor e preconceito, ou de perdição, é do outro.

Gostava de saber o que tens para me dizer das minhas canções. Amar-te nos intervalos. Possuir-te. Por trás. Agarrar-te na nuca e magoando-te, penetro-te.  Dizes-me que gostas, embora sofras. Bebe de mim.” (há uma diferença entre amar, fazer sexo e foder. Tendo em conta esta hierarquia, a mensagem refere-se à última forma de acção. Quanto ao teu penúltimo email, apesar dos insultos, gostei. Só não sei ainda quantos pontos vou dar a cada um dos insultos...Vou esperar que me envies mais respostas..)

 

Data: Sexta-feira, 19 Novembro 1999   19:56h,  *Assunto: “ Pirata “

Pirata, quero agradecer-te o número de telefone que me deste do cantor. Esqueceste-te no entanto de indicar em que horário o poderia contactar: “Isto não são horas para perguntas dessas...” foi o que ouvi.

Concluo dizendo a ti pirata, que não me assustei com o texto que me mostraste em que falas acerca da Márcia: “Possuir-te. Por trás. Agarrar-te na nuca e magoando-te, penetro-te. Dizes-me que gostas, embora sofras. Bebe de mim.”

Não me assustei porque não corro o risco de tal coisa me suceder a mim. Essa Márcia, ou outra, que lhe rompa as solas dos sapatos de tal modo que ele já não tenha sapatos para andar.

Quanto a ti cantor…fico à espera das tuas respostas, não demores muito.

Conheces a expressão: “Cansada de estar à espera de pernas abertas?” beijinhos

 

 

 

Diálogo 8 * colega de trabalho, *Terça-feira,  23 Novembro 1999    21:10h

- Olá fotogénica famosa!

- Eu fotogénica?! Desde quando? Tu é que és super fotogénica. Aliás tu hoje estás híper provocante...vais ter uma data de gente a reparar em ti.

- Eu adoro que reparem em mim! Não me importo! Eu é que dava uma boa famosa! Dava entrevistas por todo o lado que eu passasse! Faria imensa pose para os inúmeros paparazzi que me seguiriam para todo o lado e seria capa de todas as revistas grandes e pequenas! Não sou nada zelosa da minha privacidade, que se lixe! Tornava tudo público! Pousaria nua para revistas como a Playboy! Teria imenso dinheiro! Olha…ia viver à grande!!

- Eu adorava ser tu. Nem sabes a confusão em que fui metida! Queres-me chamar de Anjinha, como sempre o fazes? Chama-me de Anjinha, já nem me importo…

- Mas porquê? Fizeram-te alguma coisa?! Foi o fulano cantor?

- Pressinto que vou ter de mudar o rumo da minha história pois o fulano cantor está a querer escrevê-la de forma espasmódica. Esta história não obedece à minha vontade...vou ter de passar por uma metanóia para poder contornar os espasmos.

- A coisa deve estar mesmo complicada…não percebi nada do que disseste. Tens de passar por uma quê?! Tetanóia?! Pepanóia?! Melanóia?!

- Metanóia, sem entrar em grande rigor, é mais ou menos isto: mudança no pensar e sentir, a nível espiritual, com vista a caminhar para a  perfeição. Eu tenho de ir para a perfeição, já que os outros não vão, vou eu.

- Minha querida metanóia! Bem que podias ter arranjado um nome mais bonito para ti. Por exemplo, podias ter dito metamorfose! Olha só o estado em que está a minha Anjinha!…está tão triste!…esquece essa ida para a perfeição e tenta sair mais de casa, divertir-te e tenta conhecer algum gajo jeitoso…!

- O que achas de pedirmos um gelado de rum com passas e creme de chocolate quente por cima? Eu adorava saber porque é que o açúcar no corpo faz engordar o traseiro e não as mamas! As minhas mamas não engordam!

- Tens de contar-me o que o fulano cantor te aprontou…Os teus sarilhos estão a começar mas também irão acabar brevemente...as coisas a partir de agora atam ou desatam…

- Vai-me dar um delíquio!....

- Um delírio?! A sério? Não estou a perceber…Ou disseste lírio? Parece que estou surda! Hoje no duche deve ter-me entrado água para os ouvidos, parecem entupidos!...Tens de mudar essa tua forma de ver o mundo: tens muitas fantasias, ilusões e mais não sei quê….o mundo é belo...mas em todo o caso também tens de estar preparada para levares umas bofetadas da vida de vez em quando ou até muitas vezes…

- Como é que vão as coisas com o tal fulano do corpo atlético?

- Passei para uma nova abordagem...

- Quando tu pões essa expressão...andas a aprontar alguma...

- Eles também me aprontam portanto, merecem que eu lhes apronte!

- Mas este já começou a dar sinais de incongruências? De parvo?

- Não. Antes que ele começasse a armar-se em parvo, comecei eu a ser super parva para com ele…Sempre que ele me pergunta se o sexo foi bom, eu digo: “Sim foi, mas da próxima vez será melhor. Eu adoro-te! Eu amo-te! Eu por ti faço tudo”

- Eu adoro-te?! Eu amo-te?! Dizes frases dessas?! Não sabia…

- Porque é que não hei de dizer-lhe umas mentiras de vez em quando?! Eles fazem o mesmo! Aliás eles, os homens, são uma raça de mentirosos crónicos! Ele não gosta muito que eu lhe diga “para a próxima será melhor!”...mas como ele tem pouca auto estima, em vez de me mandar à merda, opta por na próxima vez ser muito mais “esforçado”, entendes? Depois, como eu ando sempre a dizer-lhe que o amo...ele perdoa-me! Eu sou um docinho….

- Ele é solteiro? É descomprometido?

- Claro que é! Não me envolvo com tipos casados ou com namorada. Nisso tenho código de conduta. Aliás as traições revoltam-me! Lembram o meu casamento e o meu ex marido…ele era muito infiel…as cenas que ele me aprontava...nem te passa pela cabeça!...Vamos comer o nosso gelado de rum? Conta-me: o que é que o cantor andou a aprontar?

- Trouxe alguns textos…aqueles que ilustram o telintar das pulgas nesta história.

-  Tu sais-te com cada uma: o telintar das pulgas!

- As pulgas trazem campainhas nas patas...fazem barulho ao passearem-se nesta história...Nem sei o que te diga…talvez a minha história com o fulano vá mesmo dar em nada conforme o dizes há já muito tempo…

- O que é que se passou?

- Vem na sequência dumas respostas que ele me deu a uns emails meus, mas o auge das pulgas é que quando eu lhe telefonei...

- Ele deu-te o número do telemóvel dele?! Finalmente! Assim já gosto mais dele...

- Ele nega ter sido ele a dar-me o seu contato de telemóvel, sabias? Diz que foi um pirata que entrou no correio eletrónico dele...e como se não bastasse, nega ter recebido qualquer email meu desde Setembro até agora! Já viste esta história?!

- Conta-me isso melhor...ele mentiu-te?! Mas ele tinha necessidade disso? Que coisa mais esquisita! O que se passou exactamente?  

- Não te sei explicar bem…nem sei se ele pretendia apenas obter uma reacção da minha parte.  Talvez o fulano cantor para salvaguardar a boa imagem dele junto a mim, e tudo voltar ao normal, tenha negado receber, ou enviar email, desde Setembro último….

- Isso a ser verdade, só demonstra que ele não tem caráter: faz as merdas e nega. Tanta cultura geral que demonstra ter nas entrevistas que dá e afinal, é uma maçã podre como tantas outras: vive de aparências…. Diz-me: foi por causa desse fulano cantor que te vi, durante uns dias, com cara de enterro no emprego?

- Era cara de quem estava exausta por não andar a dormir bem e também por andar apanhar sucessivas gripes. Eu sempre fui forte de saúde mas acho que a confusão que acabo de te relatar mexeu-me com os nervos e com o meu sistema imunitário…o stress está a dar cabo das minhas resistências... 

- Coitadinha da minha Anjinha….ela é tão frágil….ela ilude-se tanto…Já estás melhor, querida?

- Não bonitona…Não estou bem e também não sei o que fazer à minha vida. Sempre achei isto de eu e ele uma maluquice mas ao mesmo tempo, não conseguia de deixar de acreditar na vidente brasileira! Ou eu percebi-a erradamente: confundi as coisas…ou ela errou… Sei lá! Se eu não tivesse acreditado nela, teria escrito ao cantor não mais de três emails, acho eu. Embora sentisse alguma atração por ele, nunca teria dedicado o tempo que lhe dediquei. Agora está complicado saltar fora porque me afeiçoei a ele… fiquei viciada em escrever-lhe...

- Querida, arranjar novos vícios é a coisa mais fácil que há.

- Sabes que essa vidente também disse que eu tinha algumas capacidades telepáticas?

- Que giro! Tens essa capacidade?

- Por vezes tenho. Todos nós temos algo para além do sensorial…uns chamam pressentimentos, outros palpite, outros sexto sentido, outros intuição etc. Acerca do meu futuro, ela disse para eu não me preocupar pois quando eu estiver perdida, serei guiada pelo céu e saberei o que tenho de fazer. Também acrescentou que os meus dons paranormais vão gradualmente despertar e intensificar, principalmente em alturas de crise e sofrimento.

- A vidente deveria virar escritora…tem uma fértil imaginação…

- Também disse para eu seguir a minha intuição em caso de dúvida. E acrescentou para eu estar receptiva pois, donde menos se espera, o destino envia a resposta que se procura.

- Sim, de facto é verdade...

- Sabes que ele me respondeu a um email dizendo: “Necessitas de poucas palavras para me conseguires...Como consegues? Onde estás?” Imagina só: poucas palavras!! Os meus emails têm muitas palavras!! Só se ele se referisse ao encontro de Maio...quase nada falei.

- Porque é que ele pergunta onde estás? Ele queria marcar algum encontro?

- Não percebi a pergunta dele pois não houve proposta de encontro algum.

- Olha, às tantas ele regula mal da cabeça… O gelado já acabou! Vamos a uns crepes? Para mim quero um com recheio de compota de cereja! E tu?

- Boa ideia! O mesmo que tu!

- Continua a contar a história do cantor…ele perguntou onde tu estavas e depois?

- E depois nada! Tudo esquisito! Para quebrar a monotonia, uma vez que já não sabia sobre o que lhe escrever, prometi-lhe escrever uma história erótica. Até achei que a história estava jeitosa apesar de naquele dia eu estar nada inspirada. A resposta que ele deu a esse email…foi fenomenal!

- A sério?! Ficou excitado, foi?!

- A resposta dele foi a seguinte: “Desculpa, mas a Marléne e a Márcia escrevem melhor!” Seguida de quatro pontos de exclamação!

- Quem é a Marlene e a Márcia?!

- Não sei.

- Acho que ele disse isso só para te provocar. Teria talvez desejado que tu lhe tivesses escrito algo mais provocante. E tu, o que é que lhe respondeste?

- Dei-lhe uma boa resposta, mostrei-lhe um pouco dos meus tomates...

- Essa é boa! Tens tomates!! Então somos duas! Isso mesmo!

- Fiquei perturbada com aquela estupidez dele ou com a excessiva sensibilidade da minha parte à resposta dele, não sei…Ele rapidamente devolveu resposta.

- Qual foi a resposta dele, desta vez?

- Disse que procedia como nos tempos dos romanos, ou seja, anunciava lá do seu sofá que aquela e aquele eram os eleitos para aquela noite!  Só que eles não o faziam via telemóvel! E deixou o número dele!

- Ele estava mesmo a provocar-te! Mas ele disse “aquela e aquele”?! Aquele?!! Ele também se deita com rapazes?!!!

- Hei… calma aí. Acho que não. Acho que foi mesmo provocação.

- Telefonaste-lhe?

- Sim. Recebi o email dele por volta da meia-noite...dei voltas na cama e às duas da manhã dessa mesma noite telefonei-lhe pensando eu que ele estaria acordado...

- Qual foi a reação dele?

- Existe a crença de que os artistas se deitam tarde, que são boémios e no email ele não me tinha imposto restrição de hora portanto, telefonei-lhe às duas horas da madrugada. Pela voz dele, ao atender, parecia ter sido despertado do sono. Digo-lhe que telefonaria noutra altura mas ele reage dizendo: “Tudo bem...” mas logo em seguida diz-me que está espantado comigo, que não esperava que eu lhe telefonasse a uma hora daquelas.

- Coitadinho do artista…espanta-se com pouco…

- Expliquei-lhe que estava a telefonar porque ele me tinha enviado um email com aquele número de contato e confessei-lhe que estava perturbada com os seus últimos emails-resposta. Foi quando ele me disse que a sua caixa de correio eletrónica estava a ser pirateada por uma mulher que o perseguia.

- Achas que ele disse a verdade?

- Não, não acho. Pergunto-lhe se tinha recebido os meus emails. Ele diz que não e acrescenta que não me enviou qualquer email, aliás que desde Setembro que não recebia emails meus. Eu digo-lhe que para corrigir a situação anómala de suspeita de pirataria bastaria ele mudar a password ou, criar um novo endereço eletrónico. Ele para me calar eleva a voz num tom autoritário, como quem quer encerrar o assunto, e diz que já entregou o caso à Polícia Judiciária.

- Não acreditas nessa história da mulher pirata, pois não?

- Claro que não. Um pirata quando pirateia não é pacífico! Quer fazer-se notar! Para tal faz estragos. Anexa ficheiros com vírus ferozes ou tenta aceder a ficheiros pessoais ou a palavras-passe etc. O estilo de resposta, da suposto mulher pirata, aos meus emails é exatamente o estilo do cantor. Ninguém pirateou a conta de email dele! Depois perguntei-lhe se seria possível dar continuidade ao nosso encontro de Maio. Eu expliquei-me mal mas ele entendeu perfeitamente a minha pergunta...era no sentido de haver possibilidade de nos conhecermos melhor, de haver algum convívio, algum contato pessoal…

- O que é que ele disse?

-  Disse-me apenas que não eram horas para eu fazer perguntas daquelas a ele...

- É mentiroso, esquivo, manipulador…não é o teu tipo de homem, querida.

- Estava tão confusa com toda a história que lhe perguntei se em Maio tinha sido mesmo ele com quem eu me tinha encontrado ou, simplesmente alguém parecido com ele. Deve ter achado imensa piada a esta minha insegurança porque deu para ouvir um amplo sorriso: “Sim…era eu!”. Depois perguntei-lhe, e não sei donde me veio esta ideia maluca, se ele queria que eu lhe enviasse a troca de correspondência que mantive com uns elementos femininos do guest book dele... Aí parece que a voz dele logo se animou de curiosidade e apressou-se a dizer: “Sim, sim, envia!”. Entretanto nega conhecê-las e diz que não dava importância às mensagens lá deixadas. Para quê ver então a correspondência?

- Enviaste?

- Não. Fiz-me esquecida. Quis protege-las.

- Ele dá importância ao que se diz dele por aí. Tem um grande ego.

- Ele enviou-me um texto erótico! Olha aqui este extrato: “Gostava de saber o que tens para me dizer das minhas canções. Amar-te nos intervalos. Possuir-te. Por trás. Agarrar-te na nuca e magoando-te, penetro-te. Dizes-me que gostas, embora sofras. Bebe de mim.”

- Querida, ele está a falar de sexo anal. Tu precisas dum companheiro e não dum fornicador tonto rodeado por mulheres. Olha, os crepes já acabaram! Acho que vou pedir um “Irish Coffee” e ler um pouco mais dos teus textos... Olha o gajo!! “Bebe de mim!” O fulano tem a mania que é macho mandão! Coitado! “Bebe de mim!” Eu vou beber um irish coffee!!! Porque estás com esse ar pensativo? Estás a pensar naquilo do sexo anal?

- Não. O fulano que faça o que lhe apetecer com quem lhe apeteça também. Estou a pensar num email dele. Eu apaguei esse por ser uma resposta mega parva…

- Que resposta foi essa?

- Foi a resposta ao meu email de nove de outubro com o assunto “Czarinas”. Tens os textos, podes ver. Nesse email eu falo vagamente do feedback obtido de algumas fans suas que aparecem no seu guest book e com as quais me correspondi. Ele respondeu dizendo: “Elas são tantas que nem moscas à volta da bosta!”

- Como?!

-  Tal e qual conforme te estou a dizer: “Elas são tantas que nem moscas à volta da bosta!”

- Ele chama bosta  a ele próprio?!!!

- Sei lá…o que me admira é como é que um fulano da cidade sabe que de facto as moscas costumam abundar e circundar a bosta…principalmente se fresca! Ao sol ainda mais! Temos gado lá em casa, estes andam a pastar, não vão à casa de banho como nós mortais, fazem onde calha e de facto, vi que as moscas abundam à volta da bosta….

- Ele vive na cidade mas pode ser que a infância dele tenha sido passada no campo, sabe-se lá! Então para ele, as fans são moscas e ele a bosta? Deixa-me rir! Concordarás que tens de te rir de toda a tua história, não achas? É surreal…é de outra dimensão! Não é deste mundo!

- Eu sei…

- Hei…não fiques assim desanimada! Se és crente em Deus, sabes que: “Deus escreve direito por linhas tortas!” Quem sabe se algo de bom não virá das tuas palermices? Tu de facto trabalhas bastante na escrita dos emails que envias ao cantor… Gostas de escrever, não é? Pronto, continua essa coisa da escrita com ele até te fartares…

- Apetece-me outro crepe. E tu?

- Ok. Vamos a isso, querida!